Felicidade

Faz algumas semanas, levei Miguel à Sala Cecília Meireles para assistir ao concerto da Orquestra de Solistas do Rio de Janeiro em comemoração ao Dia das Crianças. Os músicos estavam fantasiados, havia malabares e palhaçadas. A programação incluía excertos de Carmen, de Bizet; Noel Rosa; temas dos heróis da Marvel e as Danças Húngaras nº 5, de Brahms. Foi uma curtição, divertida e emocionante. Desde então, vira e mexe nós dois nos pegamos cantarolando as Danças Húngaras, às vezes eu começo a assobiar e Miguel continua. Ontem, ele resolveu ouvi-la novamente, tascou “dança húngara” no Youtube e pronto. 

Então, vira-se para mim e diz:

- Essa música me deixa feliz. Eu fico feliz quando ouço essa música.

Espantado, dou uma meia gargalhada e ele, de bate-pronto:

- Você vai escrever sobre isso que eu falei, não vai?

- Mas é claro!


Feliz fico eu quando o vejo feliz. E mais ainda com Brahms e companhia. 


Comentários

Renata Sant Anna disse…
Lágrias nos olhos. O quanto eu estou perdendo!!! Eu mesma não sabia que as "danças"tinham este nome. Essa música também me deixa feliz!